Rosa Loebmann

A esteticista Rosa Loebmann. | Foto: Laura Ferreira.

A Drenagem Linfática popularizou-se muito nos últimos tempos, mas observo que muitas pessoas, ainda não entendem exatamente qual é a sua função e nem como deve ser realizado o procedimento – que não é uma massagem.

Eu conversei com a esteticista Rosa Loebmann, proprietária da clínica Drelinel, que é especializada no tratamento. Ela vai nos ajudar a entender tudo sobre o assunto e evitar que você caia em mãos erradas, então, preste atenção!

Um pouco de história: Os estudos sobre a linfa e os vasos linfáticos datam do ano 450 a.C., quando Hipócrates, lá na Grécia, descobriu o sistema linfático no corpo humano. Apesar de muito antigo, este conhecimento ficou parado durante séculos, pois, o estudo da anatomia foi proibido durante a Idade Média.

Somente em 1936, quando o fisioterapeuta dinamarquês Dr. Emil Vodder (formado em sociologia, filosofia e medicina), uniu os seus conhecimentos junto aos de sua esposa, a Drª Estrid, que o método da Drenagem Linfática Manual foi desenvolvido. O casal iniciou suas experiências em pacientes que sofriam de resfriados e sinusites, executando movimentos de rotação muito suaves e repetitivos nos gânglios do pescoço e com isso, desobstruíam as áreas congestionadas. No mesmo ano, o Dr. Vodder apresentou os resultados de suas pesquisas no congresso “Sauté de Beauté”, em Paris.

Na época, muitos médicos torceram o nariz para a novidade, mas as esteticistas entenderam na hora, os benefícios que o tratamento oferecia para a desintoxicação e o rejuvenescimento do rosto. – Explica Rosa.

Confira agora, uma entrevista super informativa com a especialista:

Closet Blog: Se a drenagem linfática não é uma massagem, então o que é? 
Rosa Loebmann: É uma técnica altamente especializada, que deve ser realizada somente por profissionais que conheçam verdadeiramente a anatomia e a fisiologia do sistema linfático. Utiliza pressão e bombeamento em pontos específicos, com a finalidade de desintoxicar e desinchar o corpo. A diferença é que a massagem trabalha com o sistema sanguíneo e a drenagem com os líquidos do corpo, que são coisas totalmente diferentes.

CB: Esta técnica, ajuda a emagrecer?
RL:
Não, ela desincha! Quando a técnica surgiu, muitas celebridades apareceram na mídia, dizendo que emagreceram após fazer a drenagem, mas elas esqueceram de comentar que também fizeram dietas e exercícios físicos (risos)! Se a pessoa está acima do peso ou com gordura localizada, ela jamais vai emagrecer utilizando apenas esta técnica.

CB: Que vantagem a drenagem linfática oferece para quem está em processo de emagrecimento?
RL: Durante esta fase, a drenagem colabora para nutrir o tecido flácido e consequentemente, prevenir a flacidez que a pessoa pode ter no final do processo. Ela é uma grande arma para manter a beleza e a tonicidade da pele.

CB: Como o método age no organismo e qual a sua verdadeira indicação?
RL: O corpo humano é composto por 70% de água e da mesma forma que o sistema sanguíneo precisa de equilíbrio, o sistema linfático também. Simplificando: é como se fosse o filtro do nosso organismo, ele é responsável por carregar as toxinas eliminadas pelas células (devido ao tabagismo, má alimentação, stress, etc) e eliminá-las do corpo. A drenagem ajuda a acelerar este processo, consequentemente ela desintoxica e desincha o corpo.

CB: Quando feita no rosto, a drenagem retarda o envelhecimento?
RL: Ao desintoxicar o rosto, estamos colaborando com o processo de rejuvenescimento, pois, a célula precisa de um ambiente limpo e saudável para viver mais e melhor, ou seja: retardamos o envelhecimento sim!

CB: À partir de qual idade é recomendável fazer a drenagem e qual a frequência ideal?
RL: O ideal é à partir dos 13, 14 anos, pois, o processo de inflamação das células, que dá origem à temida celulite, começa nessa fase da vida. Este tratamento pode ser realizado constantemente, pois só oferece benefícios. Quanto mais sessões, menos processos de inflamação celular!

CB: Qual a vantagem de fazer drenagem após cirurgia?
RL: Eliminar os edemas pós-traumáticos.

CB: Existe alguma contra-indicação?
RL: São poucas, mas existem! Pessoas com problemas cardíacos, renais, trombose, febre, dores de garganta e câncer não podem fazer drenagem linfática. O ideal nesses casos, é conversar com o seu médico para esclarecer qualquer dúvida.

CB: Sempre ouço comentários, de pessoas que fazem drenagem utilizando cremes de massagem e adoram quando saem com hematomas das sessões de drenagem. É normal? 
RL: De jeito nenhum! Isso está completamente errado! Não se utiliza nenhum tipo de creme nesta técnica, pois não é feito o deslizamento e sim o bombeamento repetitivo, como citado anteriormente. E sair com hematomas de uma sessão, é totalmente absurdo. Hematomas são a consequência do rompimento dos capilares e dos filamentos, que são inflamações internas.

CB: É verdade que o fluxo de urina aumenta muito depois da drenagem? É comum fazer mais xixi depois?
RL: Depende. Se a pessoa leva uma vida saudável, pratica atividade física e tem uma boa alimentação, a drenagem atua na desintoxicação dos tecidos e no rejuvenescimento, mas ela não vai ter maior fluxo de urina. Agora, se a pessoa está num processo pós-cirúrgico ou muito inchada, pode ser que ela sinta mais vontade de urinar sim. Mas cuidado com o aquele chazinho que lhe oferecem antes da sessão, obviamente você sentirá mais vontade de ir ao banheiro, mas isto não quer dizer que a drenagem funcionou!

CB: Alguns tratamentos corporais estéticos, como o ultrassom ou massagem modeladora, por exemplo, aumentam a circulação sanguínea no organismo. É recomendável fazer a drenagem depois?
RL: Após qualquer tratamento ou atividade física, recomenda-se a drenagem, pois a vasodilatação e a oxigenação dos tecidos acaba levando as impurezas do sangue para os líquidos do corpo. O ideal, é que seja realizada a sessão de drenagem linfática na sequência de outros tratamentos, com a finalidade de eliminar essas impurezas e obtermos um resultado perfeito para a beleza e a saúde do corpo!

Acompanhe agora, uma sessão de Drenagem Linfática Facial com a própria Rosa Loebmann e veja como os toques são leves:

Imagens: Laura Ferreira / Closet Blog / Divulgação.